TOPO

“Tenho o direito de sair e de beijar quem eu quero”, diz Bruna Marquezine

por Redação / Publicado em terça-feira, 14 abr 2015 21:17 PM / / 488 views

bruna
Uma Bruna Marquezine mais leve, mais segura e mais feliz. Foi assim que a protagonista da próxima novela das 19h  da Globo “I Love Paraisópolis” se apresentou aos jornalistas na coletiva da trama que estreia dia 11 de maio. Aos 19 anos, ela confirmou ter vivido uma período conturbado por causa da exposição excessiva na mídia, não só pelo fato de encarar a sua primeira protagonista em “Em Família”, como o namoro de idas e vindas com Neymar.

Hoje, ela garante que seria pretensioso dizer que aprendeu a lidar, mas já não se incomoda tanto em ter seu nome estampado na mídia. “Já falei zilhões de vezes que a minha vida pessoal diz respeito a mim. Passei por um período muito conturbado em 2014 não só pela novela, que foi um presente para mim, mas a gente teve alguns problemas internos, sim, mas também a minha vida pessoal foi muito exposta. Eu vivi tudo que eu queria viver. Não me arrependo de nada! Tudo que a gente passa na vida, é para acrescentar”, completa.
Bruna acha graça ao ter que ser sempre cobrada pelos seus atos de forma adulta, madura. “As pessoas às vezes esquecem minha idade porque trabalho desde cedo. E só tenho 19 anos e tenho que passar por tudo que uma garota da minha idade precisa passar. Tenho o direito de sair e de beijar quem eu quero. Tenho o direito e faço. Só que eu não preciso ficar me expondo. Mas não preciso ficar expondo e falando por aí. Dizer tipo: ‘Olha, fiz mesmo’. Não vou, sabe? Ter que explicar como começou? Não vou falar mesmo (risos). Imagina eu dizendo: ‘Gente, começou tal dia”, brincou.
Desde dezembro, Bruna namora o modelo Marlon Teixeira. Uma relação sobre a qual Bruna não fala abertamente, mas dá sinais de que tudo vai bem – aliás, muito bem. “A única coisa que falo agora é que estou feliz, muito feliz em todos os aspectos da minha vida. Antes, eu questionava por que eu não podia falar, por que eu não podia expor o que sentia, dividir as minhas emoções com quem eu achava que torcia por mim. Hoje, não faço nada. Vivo e pronto. Aprendi que  quando você fala ou expõe, parece que atrai mais problemas. É surreal! Fui aprendendo e continuo aprendendo.”
|