TOPO
Sem categoria

O brasileiro Bruno Sidrim interrompeu as férias para ser figurante de “Game of Thrones”

por Redação / Publicado em quinta-feira, 30 abr 2015 13:03 PM / / 1292 views
Brasileiro interrompe férias para ser figurante de "Game of Thrones"
O brasileiro Bruno Sidrim com o ator Dean-Charles Chapman, que interpreta Tommen Baratheon

Imagine que você está num período sabático, fazendo uma longa viagem pela Europa. Largaria o descompromisso das férias para acordar de madrugada e vestir uma armadura de 6kg o dia todo? Para um fã de “Game of Thrones” como o arquiteto cearense Bruno Sidrim, 36, não houve nenhum drama na escolha: na estrada há 50 dias, interrompeu a temporada de quatro meses no exterior para virar figurante na série da HBO em Dubrovnik, na Cróacia.

O trabalho começava cedo: o brasileiro acordava entre 3h30 e 4h da manhã durante os cinco dias de gravações e seguia com o grupo de ônibus até o depósito de figurinos, com todas as peças numeradas e já programadas para os roteiros dos dias seguintes. “Gravava de 7h até 17h, 18h. Depois eu ainda saía pra comer, conversava com o pessoal do hostel ou com os amigos pelo WhatsApp. Só ia dormir lá pra meia-noite. E tenho dificuldade de acordar cedo”, conta.

Arquivo pessoal

Brasileiro interrompe férias para ser figurante de "Game of Thrones"

Sidrim (segundo à esquerda) com o ator Dean-Charles Chapman e outros figurantes da série num dos sets em Dubrovnik

A participação rendeu um cachê que varia entre 35 e 50 euros por diária. “O valor depende da função. Se você participa do centro de cena, fala mais alto ou faz força, carregando uma liteira, recebe mais. Se fica só lá no fundo recebe menos”, conta ele, explicando que as cenas de luta só são feitas por dublês profissionais.

A armadura, segundo ele, não é fácil – e ele nem usou uma das piores. “As mais pesadas eram dos soldados da guarda do rei, que usam capa branca. Mas cansa bastante. A ordem de arrumação dos figurantes tem até uma hierarquia: quem carrega mais peso são os últimos a se arrumar e os primeiros na hora de desarrumar”, explica.

Um dos cenários fixos do programa (a atração tem sets em vários países, como Irlanda do Norte e Espanha), a cidade croata vira Porto Real na ficção. Sidrim já sabia disso, mas não imaginava que poderia ser escalado. “Cheguei lá em setembro, não achei que ia ter gravação nem nada. Mas estava passeando despretensiosamente e encontrei uma locação por acaso. Vi que estavam montando o set entrei em contato pessoal da produção. Tinha uma passagem de barco comprada para ir à Itália, mas acabei ficando lá mais duas semanas”, lembra.

EFE

Brasileiro interrompe férias para ser figurante de "Game of Thrones"

A fortaleza de Lovrijenac, em Dubrovnik, vira a Fortaleza Vermelha de Porto Real em “Game of Thrones”

Sem roteiro

Segundo Sidrim, os figurantes ficam completamente no escuro em relação ao conteúdo da cena: a produção dá apenas as instruções essenciais para a ação na hora da gravação. “Não falam nada muito específico. Tem muita cena de multidão, então a gente fica parado, sem muita expressão. Mas na caminhada da vergonha (passagem que envolve a personagem Cersei, vivida por Lena Headey), eles incentivaram todo mundo a fazer cara de surpresa e a xingá-la”, conta.

Mesmo sem ter lido os livros de George R. R. Martin, que inspiraram a série, o brasileiro já tinha uma noção do que poderia acontecer porque caça spoilers na internet.  “Não dá pra ter certeza, mas teve uma sequência que parecia ser o funeral do Tywin Lannister (Charles Dance), o clima estava meio fúnebre. Outra devia ser o casamento da Margaery (Natalie Dormer) e do Tommen (Dean-Charles Chapman), porque tinha várias liteiras”, diz ele, que se reconheceu numa cena exibida no primeiro episódio.

Brasileiro interrompe férias para ser figurante de "Game of Thrones"
O brasileiro marca com uma seta sua aparição numa cena de “Game of Thrones”: “O único de capacete”

A foto com Chapman aconteceu num raro momento de interação com os atores – em geral, eles ficam numa área de descanso separada, sem muito contato com os figurantes. “Eles são acessíveis, simpáticos, até fora do set, costumam andar pela cidade, tiram foto. Só que, na hora da gravação, a produção tenta separar um pouco pra manter a ordem. O ator que faz o Tommen ficou um pouco mais próximo, gravou um dia com a gente. Como ele é menor de idade e tinha que voltar às aulas, as gravações dele foram adiantadas”, explica ele.

O arquiteto ficou impressionado com o fato de vazarem poucas imagens das cenas, já que as gravações acontecem em lugares abertos. “Todo dia chegam cruzeiros com 10 mil turistas. É muita gente batendo foto. Achei que ia estar tudo na internet no dia seguinte, mas saíram umas dez fotos”, diz ele, que até ajudou um grupo de outros brasileiros a entrarem para a figuração da série.

Apesar de declarar Tyrion (Peter Dinklage) como seu personagem favorito, o cearense quer ver outra pessoa ocupando o Trono de Ferro no fim da saga. “Acho que vai ser a Daenerys (Emilia Clarke). Em algum momento ela deve se encontrar com Jon Snow (Kit Harington) e vai sair alguma coisa daí”, torce ele, que considera a experiência positiva, apesar de toda a trabalheira. “Valeu a pena porque eu sou fã. Pra uma pessoa que não curte não sei se valeria”, avalia.

Assista aqui a entrevista exclusiva com Lino Facioli, ator brasileiro em Game of Thrones

|