TOPO

Copiloto da Germanwings queria ‘destruir o avião’ segundo autoridades da França

por Christian Simon / Publicado em quinta-feira, 26 mar 2015 10:19 AM / / 409 views

Copiloto da Germanwings queria 'destruir o avião' segundo autoridades da FrançaSegundo informa a BBC, o copiloto do jato da Germanwings que caiu nos Alpes franceses, matando 150 pessoas, aparentemente teria derrubado o avião deliberadamente, de acordo com um procurador de Marselha afirmou nesta quinta.

O procurador francês Brice Robin afirmou que o avião que caiu nos Alpes na última terça mencionou informações obtidas na caixa preta do avião, recuperada há dois dias. Ainda de acordo com Robin, o co-piloto teria iniciado a perda de altura propositadamente quando o piloto estava trancado fora da cabine. “Nas gravações, não se ouvia um único ruído de dentro da cabine” disse Robin. Anteriormente, as gravações revelearam o desespero do piloto que não conseguia retornar à cabine, assim como os gritos dos outros passageiros.

O copiloto, Andreas Lubitz, de acordo com Robin, estava vivo na hora do impacto
“Podíamos ouvir o piloto gritando enquanto alguém movia o assento para trás e o barulho de uma porta se fechando”, disse Robin. As autoridades abriram uma investigação por “homicídio voluntário”.

Na última terça, um Airbus A320 da Germanwings se colidiu com os Alpes franceses quando viajava da Espanha para a Alemanha, matando 150 pessoas. As buscas têm sido feitas desde então numa área de difícil acesso.

Jovem, copiloto tinha poucas horas de voo

O copiloto, de 28 anos, tinha uma experiência de 630 horas de voo e havia começado a trabalhar na Germanwings em setembro de 2013, segundo informou à Agência Efe um porta-voz da companhia aérea alemã Lufthansa.

A prefeita de Montabaur, Gabriele Wieland, explicou à agência de notícias alemã “dpa” que o jovem vivia com seus pais e tinha um alojamento em Düsseldorf, cidade para onde se dirigia o avião da Germanwings que caiu com 150 pessoas a bordo nos Alpes franceses.

“Andreas morreu como primeiro oficial de serviço na catástrofe aérea”, publicou em sua página na internet o Clube de Esportes Aéreos (LSC Westerwald) de Montabaur, do qual o copiloto era membro, após a divulgação da notícia do acidente, na terça-feira.

“Cumpriu seu sonho de voar, sonho que agora pagou caro com sua vida”, afirmaram companheiros de clube sobre um jovem que, segundo seus colegas, “começou como piloto de planadores e chegou a ser piloto de um Airbus A320”.

|

Comentários no Facebook