TOPO

Babilônia – Marcos Pasquim se encantou com personagem gay

por Redação / Publicado em terça-feira, 24 mar 2015 11:37 AM / / 1105 views

124
Marcos Pasquim vive o instrutor de saltos ornamentais Carlos Alberto em “Babilônia”
Ex-medalhista olímpico, o instrutor Carlos Alberto ganha a vida ensinando jovens talentos do salto ornamental em “Babilônia”. Mas o personagem representa um salto e tanto na carreira de seu intérprete: com um currículo extenso de mulherengos na TV, Marcos Pasquim não esconde que se encantou com a possibilidade de encarar um personagem em conflito com a própria sexualidade na novela das nove. Treinador de Diogo (Thiago Martins), o ex-atleta, que já foi casado com uma mulher e tem um filho, Fred (Filipe Ribeiro), vai se descobrir apaixonado por Ivan (Marcello Melo Jr.). Enquanto o professor de slackline é bem resolvido, Carlos se sente atraído pelo amigo, mas não tem coragem de assumir até para si mesmo seus sentimentos. Segundo o ator, o burburinho provocado nos primeiros capítulos da trama, em torno do casal Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg), não o deixa nem um pouco apreensivo com uma possível rejeição.

“Estou adorando isso tudo. Achei a atitude dos autores de colocar um beijo da Fernanda e da Nathalia no primeiro capítulo sensacional. Não fico preocupado, em absoluto, a novela mostra o que está acontecendo no mundo, é um reflexo da sociedade. Os casais mudaram, a família tradicional não é mais a maioria. O papel da televisão é mostrar isso, e essa parcela mais ortodoxa da sociedade tem que olhar com mais carinho. Tomara que dê certo, espero que me vejam com a mente aberta”, torce o intérprete.

Ele admite que as críticas são esperadas, mas vê com otimismo a relação do público com a proposta da ficção, que tem ensaiado mostrar relações homossexuais com mais frequência e com naturalidade. “Estamos no século 21 e ainda tem gente racista, por exemplo. A gente não vai conseguir unanimidade. Mas acho que estamos caminhando a passos largos para a aceitação”, comenta ele, que comemora esse ponto fora da curva em sua carreira: “Estou saindo da minha zona de conforto, e isso é maravilhoso pra mim como ator. Que bacana fazer algo que nunca fiz, com essa trajetória completamente oposta”.

O fato de ser um ex-atleta pesa na hora de Carlos Alberto assumir seu interesse por Ivan, que conhece numa festa. Enquanto o conflito o atormenta, sua única confidente é Helô (Carla Salle), que percebe a atração – no início, apenas uma troca de olhares – entre os dois. Segundo Ricardo Linhares, que escreve a novela junto com Gilberto Braga e João Ximenes Braga, o relacionamento entre os personagens só vai se desenrolar de verdade a partir do capítulo 45, que vai ao ar no começo de maio.

“Carlos acha que pode ser um escândalo no meio que ele vive, o esporte, e que isso pode prejudicá-lo”, afirma Pasquim. “Ele acha tão interessante, imagino eu, um cara que é tão bem resolvido como o Ivan”, analisa.

Babilônia
Reprodução/”Babilônia”/GShow / Ivan (Marcello Melo Jr., à esquerda) é instrutor de slackline em “Babilônia”: Rafael (Chay Suede) é um de seus alunos

BabilôniaPara compor o personagem, Pasquim afirma que teve que fazer muita pesquisa. Além de assistir a filmes como “Praia do Futuro” e “Hoje eu Quero Voltar Sozinho”, o ator conversou com amigos que já passaram por uma situação semelhante à de Ivan: descobriram desejos por outros homens depois de terem sido casados com mulheres.

“Não é o meu universo, então achei legal descobrir como essas pessoas veem o mundo. Eles falam: ‘Nasci desse jeito’. Eles sempre se viram dessa forma e se privaram. Quando tiveram oportunidade, através de terapia, de conversas, sentiram-se livres para quebrarem esse tabu dentro da cabeça deles. Porque a pessoa dentro do armário cria um tabu na própria cabeça. Quando quebra, consegue ser feliz”, analisa.

Ator, direção e autores chegaram à conclusão de que a melhor maneira de criar Carlos Alberto seria um personagem sem trejeitos. “Mas não vou fazer um machão, porque seria outro estereótipo. Vou fazer um cara normal. O que a gente quer mostrar é o sentimento. Amor não precisa de trejeito”, diz Pasquim.

Acostumado a interpretar os famosos descamisados das obras de Carlos Lombardi, Pasquim agora passa o bastão para Thiago Martins, que na coletiva de imprensa da novela, brincou sobre o rótulo do colega, ao ser desafiado pelo diretor de núcleo Dennis Carvalho a tirar a camisa no evento. “Deixo isso para o Pasquim”, brincou Thiago, na ocasião. Em seguida, o diretor lembrou que “Babilônia” tem outros autores.

“Dennis foi muito feliz ao pontuar isso. Os atores fazem o que fazem, tiram camisa, deixam a barba, cortam o cabelo porque está escrito. Ninguém entra na cena e fala: ‘Vou tirar a camisa’. Aqui, o Thiago vai tirar camisa porque ele é nadador, está de sunga o tempo todo”, diz.

E o fato de transferir o posto para um ator mais jovem e assumir um papel mais maduro, pai de família, não o deixa preocupado com a passagem do tempo. “Tem papel pra todo mundo. Faz parte do amadurecimento da carreira. Não posso ser jovem pra sempre”, garante o ator, de 45 anos.

|

Comentários no Facebook