Ser Rainha de Bateria saiu de moda

por

Faltam duas semanas para os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro. Diferente de outros anos quando havia uma intensa disputa pelo posto de Rainha de Bateria das grandes escolas, dessa vez o cenário é morno. Apenas Sabrina Sato (Vila Isabel), Viviane Araújo (Salgueiro) e Juliana Alves (Unidos da Tijuca) chamam atenção da mídia. As outras são quem mesmo? Ah sim tem Susana Vieira na Grande Rio. Mas nem isso é novidade. A atriz global já foi Rainha em outro momento. Nem a expectativa sobre fantasias esse ano está valendo. Parece que o cargo está em baixa. Vão longe os tempos de Monique Evans, Luiza Brunet, Luma de Oliveira, Juliana Paes… A novidade mais forte em termos de mídia esse ano é Claudia Leitte na Mocidade. O que poderia ser um grande momento já micou no ensaio técnico na Avenida. Claudia usou protetores de ouvido para se proteger do som da bateria. Chuva de críticas nas redes sociais e a estratégia de bombar a cantora na Avenida foi por água abaixo. Num ano em que até os grandes camarotes da Sapucaí entraram em extinção, o desinteresse pelas Rainhas é apenas um sintoma de que o carnaval carioca das escolas de samba precisa se renovar. Na foto Patrícia Nery Rainha da Portela.

Para saber em tempo real as atualizações do blog basta seguir @AndreSank no Twitter